O Brincar e o brinquedo dos nossos pequenos

Olá Mamães toda hora, todas bem?

Esta semana convidei a mamãe e colega Monica Vagliati para falar sobre um dos momentos mais especiais que temos com nossos filhos: A Hora do Brincar.

Sempre sou criticada por algumas amigas sobre o quão estressada fico quando deixo meu filho em casa com meu marido, pois sei que assim que eu chegar, a surpresa estará garantida.

Por um lado admiro muito a disponibilidade e paciência que ele tem para brincar com o Léo, eles se divertem pra caramba (confesso, fico enciumada), se sujam muito, bagunçam muito. Mas, por outro lado, a arrumação normalmente fica por minha conta, por isso me estresso!

Sei o quanto isso é importante para o desenvolvimento do meu pequeno e que deveria estimular muito esse tipo de atividade. Estou melhorando e muitas vezes incentivando esses momentos.

No Livro Aprender Brincando – Atividades divertidas para construir o caráter, a consciência e a inteligência emocional das crianças de Denise Chapman Weston e Mark S. Weston, além de encontrar atividades para realizarmos com nossos filhos, os autores sustentam a ideia de que o jogo é o meio mais eficiente de ensinar uma criança. “Com jogos, você pode ensinar conceitos complicados, princípios filosóficos e emoções que são difíceis de descrever em palavras. Você constrói as capacidades de seus filhos e mostra a eles como resolver problemas quando você pratica com ele jogos envolventes, já testados em crianças, que estimulam o corpo e a mente” (p.16)

O que percebo é que muitas vezes tenho dificuldade em começar uma brincadeira com o Léo, principalmente quando estamos eu e ele. Tenho plena consciência de que o brincar aproxima cada vez mais pais e filhos e desenvolve muito o vinculo afetivo e, consequentemente, auxilia na evolução de todos. O livro Amar e Brincar – fundamentos esquecidos do humano do Humberto Maturana nos faz refletir sobre como estamos vivendo no mundo de hoje.

Aproveitem a leitura e as dicas que a Psicóloga Monica Vagliati nos dá.

Um beijão a todas.

****************************************************************************************************************

O Brincar e o brinquedo dos nossos pequenos

Para as crianças quanto mais brinquedos melhor!  O problema é que elas enjoam rápido e eles acabam ficando encostados pela casa. Para driblar o problema muitos pais estão aderindo ao  consumo compartilhado, ou seja,  trocando os brinquedos entre amigos. Além de custar caro muitas vezes os produtos não apresentam durabilidade ou são deixados de lado pela criança. A tendência entre os brinquedos é retornar ao passado e mesclar brinquedos sustentáveis de madeira, papelão e material sucata. E principalmente ser construído com várias mãos promovendo a troca entre pais e filhos.

Tente essa nova proposta! Existem sites interessantes apostando nessa ideia:

www.joanninha.com.br – Um site que se dedica ao brincar sustentável que desenvolve as habilidades infantis e, ao mesmo tempo, incentiva o reuso e o consumo compartilhado de brinquedos.

www.quintaldetrocas.com.br – É um site que permite a troca de brinquedos, jogos, livros e fantasias entre crianças, através de um mecanismo fácil e seguro criado especialmente para este fim. O Quintal de Trocas une crianças de todo o Brasil e faz com que a brincadeira seja ainda mais divertida e sustentável, porque brincar é muito mais divertido do que comprar.

www.artesurpresa.com.br – Brincadeiras e brinquedos divertidos para serem montados pelas crianças com todo o material, instrução e inspiração incluídos!

Todas as ideias são desenvolvidas por especialistas para desenvolver a criatividade, curiosidade, imaginação e coordenação motora.

A brincadeira torna-se o principal instrumento para acessar informações e auxiliar nos conflitos das crianças.  Nos jogos aprendemos a competir, suportar embates, perseverar até alcançar seus objetivos. Assim como nós adultos fazemos amigos e inimigos em determinadas situações, o mesmo acontece com os pequenos durante as brincadeiras. Essa passa então a ser uma indicação no processo de relações humanas e habilidades sociais.

Mas o que cada brinquedos nos fala sobre os pequenos?

  • Fantasias de Princesas, Super Heróis, casinha e bonecas: a criança aprende a desenvolver papéis.
  • Desenhos, massinha de modelar, argila: a criança expressa suas emoções e cria.
  • Quebra-cabeça, Legos: a criança trabalha a concentração e resolução de conflitos.
  • Cozinhar ou experimentar alimentos: a criança aprende a seguir instruções e perceber as diferenças.
  • Pular, saltar, correr: a criança aprende como o corpo funciona.

A criança que não brinca está doente! E a que não brincou o necessário pode ter seu desenvolvimento afetado, pois pulou etapas importantes de sua vida. Cabe aos pais estimular adequadamente brincadeiras de seus filhos, dar mais tempo para que possam brincar. Oferecer material e brinquedos (os mais simples são mais adequados) que estimulem sua inteligência e elaborem suas emoções.  Uma infância bem vivida só pode trazer adultos equilibrados e resolvidos.

Segue algumas dicas de jogos e suas funções:

  •  Concentração e paciência: Lego,Bop It, Simon.
  •  Defesa: Uno, Combate, Se vira.
  •  Limites: Escadas e Escorregadores
  •  Agressividade: Pula pirata, explosão, quebra-gelo, massinha de modelar.
  •  Raciocínio Lógico: Senha, quadro a quadro, sudoku, Liga quatro.
  •  Ansiedade: Torre de copos do Huck.
  •  E para afamília: Perfil 4, Banco Imobiliário, Jogo da Vida, Detetive.

Por fim, desejo que pratiquem muito Filhoterapia!!!

*****************************************************************************************

Monica Vagliati

Monica Vagliati é Psicóloga Clinica especialista em Psicoterapia Cognitivo Comportamental de crianças, adolescentes e adultos. Atua há 10 anos em Consultório Clínico na Clinica Espaço Equiliibrium.

Instagram: PSIMONIVAGLIATI – Facebook: Psicologa Monica Vagliati

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>