Falta de Tempo ou Falta de Organização do Tempo?

Olá minhas parceiras, mamães toda hora!

Mais alguma acha que o dia deveria ter mais de 24h? Será que sou só eu que, por mais tempo que eu tenha, ainda parece pouco?

Esta semana encontrei uma amiga minha (que é mamãe também), e ela me fez essas perguntas… me identifiquei tanto que resolvi escrever sobre isso esta semana.

Eu não tenho uma pessoa em casa que me ajuda com as tarefas domesticas e nem com o Léo diariamente. Tenho uma secretária do lar que vem duas tardes por semana (o que estou achando pouco) que mal dá conta da bagunça toda que se encontra a casa.

Mesmo o Léo frequentando a escola turno integral e eu me revezando entre meus trabalhos, projetos pessoais e a os afazeres do lar, mal consigo fazer as coisas direito.

Quando ele estava em casa comigo, nas férias, daí sim que praticamente pouco fazia. E hoje, com a rotina da escola, a saudade e o sentimento de culpa, me sinto atrapalhada durante o dia.

Sim, me sinto culpada por deixá-lo na escola o dia inteiro sabendo que tenho horários livres durante a manhã e a tarde, porém meus horários são quebrados e para poder ficar com ele mais tempo teria que ter alguém para me ajudar, o que hoje não cabe no meu orçamento. Mesmo tendo consciência da minha justificativa, isso ainda me incomoda muito.

A escola que ele está é super boa, tenho total confiança, as atividades são diversificadas, as crianças já são conhecidas da aula de musicalização do ano passado (assunto para outra coluna), as educadoras são uns amores, a estrutura é fantástica, tem enfermeira… enfim tudo mais que maravilhoso. Mas este sentimento de mãe está sendo complicado de lidar.

Desta forma, com este turbilhão de coisas acontecendo ao mesmo tempo, acabo me perdendo nas atividades do Lar. O que eu considero atividades do Lar: fazer a janta para o Léo, lavar as roupas dele, passar, recolher brinquedos (todo o tempo), limpar migalhas de comida espalhadas pela casa inteira, passar pano no chão melecado, limpar vidros lambuzados, …

Desta forma, acabo indo dormir depois da meia noite, mesmo o Léo tendo dormido às 20h30min/21h. E, durante a noite sofro com o “terror noturno” que o Léo anda tendo e acabo acordando várias vezes. Acordo quebrada e lá vem outro dia, outra maratona. Vocês devem estar perguntando onde está meu marido nestas horas.

Meu marido me ajuda muito com o Léo, brincar, dar banho e fazê-lo dormir são as principais tarefas dele, e mesmo assim tenho a sensação de estar tudo por fazer!

Com essa “falta de tempo” ou talvez “organização do tempo” sinto que poderia ter mais qualidade na relação com meu pequeno. Sinto que peco por estar sempre fazendo outra coisa.

E vocês, como administram o tempo em casa?

Um beijão a todas!

Comentários (8)

  1. Grazi Picolli

    O aprendizado é diário nesse quesito. O mais importante é o mais importante: fazer companhia aos babies, brincar, ensinar. O resto, se não faz hoje, faz outro dia. Aprender a abstrair o não essencial, pensar que este tempo é o momento que temos, que precisa ser aproveitado, que se arrepender no amanhã é tarde.
    Eu, por exemplo, não consigo ir pra uma academia, muitas pessoas falam que é necessário cuidar da saúde, etc. Mas estou cuidando da minha saúde emocional ficando o pouco tempo do dia após o trabalho com minha lindona. Isso pra mim é tudo!

    Reply
    1. Karine Callegari

      Grande colocação Grazi!
      Sabias palavras…
      devemos aprender a nos desapegar de coisas que conseguimos fazer antes para curtirmos nossos pimpolhos.
      Mil beijos e obrigada pela contribuição.

      Reply
  2. Sami

    É minha amiga! Falta tempo sim! Mas também acho que a gente se cobra muito e carrega um bom punhado de culpa…….mas ser mãe é isso ai! Ou acho que é!! Como sempre, amei!

    Reply
    1. Karine Callegari

      Amiga, companheira “parente” e mãe espetacular. Esta bendita culpa que não quer sair do nosso corpo né? Obrigada pela contribuição e por estar me apoiando neste projeto. Bjs e vc e no Davi

      Reply
  3. Rosângela

    Olá Karine, acompanho e adoro seu blog, estas tuas colocações, acredito fazer parte da maioria dos lares, e hoje a mulher que tem filhos e trabalha fora, tendo que deixar os seus filhos aos cuidados de outras pessoas, escolinhas, ainda assim tendo que cuidar dos afazeres da casa, não está sendo fácil mesmo. A minha filha vai para a escolinha desde o seu 4º mês quando voltei ao meu trabalho, algumas vezes também já me arrependi, mas na maioria das vezes não, pois vejo que o seu desenvolvimento é maravilhoso. E eu sinceramente fico admirada com você que além de tudo, consegue tempo para escrever no sue blog, parabéns!!!

    Abraços.

    Reply
    1. Karine Callegari

      Oi Rosangela, fico feliz que esteja gostando. Compartilho disso tudo que escreveste. o Léo também frequenta a escola desde o 4º mês. Aceito sugestões de novos temas para o blog. Obrigada pela contribuição. Beijos

      Reply
  4. Fernanda

    Amei este post, como as outras mães, tbm tenho estes anseios. ka, continue com este blog, pois qdo sobra aquele tempinho, leio e sinto-me normal, com erros e acertos de uma mamãe q ama muito.
    Eu precisaria, no momento, deixá-la na escolinha em turno integral. Porém, por melhor q seja a escolinha e a Isa adorar ir para lá, eu não consigo. E, isso é um conflito q tem me consumido. Profissionalmente, preciso, mas não permito isso, criticando-me como uma mãe ausente. Em relação à casa, tbm tenho uma pessoa q ajuda 2x por semana, todavia sinto vergonha dela mesmo, pq não consigo dar conta de deixar tudo organizado como sempre mantive. Todavia, a premissa é, enquanto todos em casa, aproveitar ao máximo!

    Reply
    1. Karine Callegari

      Perfeito Fer… sinto a mesma coisa. Somos normais… ufa… Obrigada por dividir conosco sua história. mil beijos

      Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>