Você perde seu filho em casa!

Olá mamães toda hora, todas bem?

O assunto que pretendo abordar hoje foi uma dica de um super pai, o Leandro Oliveira.

Ele postou no meu perfil do face uma figura (acima) que diz assim:Você não perde seu filho na rua. Você perde seu filho em casa.

Me tocou tanto, que precisei escrever sobre isso.

Percebo muitas crianças hoje com dificuldades de limites. Já escrevi uma coluna sobre isso e expressei a minha dificuldade (na prática) em colocar limites no Léo.

Ele é uma criança com personalidade forte. Quando quer algo faz de tudo para conseguir. Toda vez que acontece uma cena em que o Léo faz um drama, me questiono qual a melhor maneira de contornar a situação e educá-lo para que ele cresça forte, determinado, com auto-estima, respeito aos outros, sem “estragá-lo”.

Pela falta de tempo, correria do dia a dia, muitas de nós acabamos relevando muitas destas situações e acabamos  dificultando o entendimento para nossos pequenos. Nosso discurso e nossas atitudes muitas vezes são ambivalentes. E, por vezes, depositamos em outros (escola, avós, sociedade, grupo de amigos) uma responsabilidade que é nossa.

Por isso, acredito muito em construir relações sustentadas na afetividade. Procuro estabelecer este vínculo afetivo em todas as relações que estabeleço. Sei que muitas vezes é difícil de sustentar  (somos humanos!) mas é gratificante o retorno que temos se soubermos administrar e desenvolvermos a inteligência emocional.

Procuramos, aqui em casa, educar o Léo dessa forma: Olhando, dando atenção, acariciando, abraçando (muito!), brincando junto, aproveitando os momentos que estamos todos em casa para nos divertirmos de diversas maneiras, deixando ele chorar quando percebemos que é “manha”, conversando muito, explicando o que está acontecendo, incentivando, acreditando.

O que acontece com nossos filhos fora de casa, é um reflexo do que está acontecendo dentro da nossa casa. Precisamos ter muito cuidado com nossos comportamentos, reações, discursos. Somos os exemplos. Nem sempre estaremos ao lado dos nossos filhos em todas as situações, até porque, criamos nossos filhos para o mundo.

Acredito que o desenvolvimento da afetividade seja o lado mais maravilhoso da maternidade. Descobrimos o verdadeiro sentido do amor e conseguimos doar ao máximo o que temos de melhor.

Portanto mamães toda hora, curtam muito seus pimpolhos, pois todo mundo me diz que cada fase passa muito rápido e quando nos damos conta eles já estão criados para o mundo.

Dediquem qualidade e tempo na relação de vocês, isso não tem preço!

Um beijo a todas, e obrigada meu amigo Leandro Oliveira!

Comentários (4)

  1. Leandro Oliveira

    Karine, foi uma grata surpresa ver que o post que compartilhei contigo te tocou de maneira tão significativa e positiva. Assim como o foi comigo. O teu desenvolvimento textual acerca da imagem foi sensacional e descreve perfeitamente o dia a dia com nossos filhos, principalmente nessa delimitação “territorial”. Da mesma forma que, como mãe, tu te deparas com a dúvida do como agir – na busca utópica de acertar sempre (pelo menos é essa a intenção) – como pai não é diferente, talvez futuramente possamos analisar até que ponto realmente existe essa divisão materno/paterno no processo de criar e educar filhos. Contudo, o destaque que quero dar as tuas palavras é justamente nesta questão da valorização do tempo que estamos junto a nossos pequenos (e crescidinhos também), onde uma culpa comum que temos se apoia no pouco tempo que temos disponível para dedicar ao lado deles, no entanto, de pouca valia seria estarmos 24h juntos – apenas de corpo presente – sem de fato investir no desenvolvimento afetivo com a criança, nos permitindo sair de “nosso mundo” e mergulhar no mundo delas, mundo este que sem nos darmos conta – deixamos para trás, mas que foi a escola do que somos hoje. Beijo grande Karine, parabéns pelo blog e tuas excelentes abordagens, que tu continues inspirando intensamente muitas mamães e papais!

    Reply
    1. Karine Callegari

      Olá meu amigo!
      Sou eternamente agradecida por Deus ter te colocado na minha vida e por me fazer evoluir sempre.
      Você sabe o quanto me faz refletir e a cada conversa (mesmo on line) cresço consideravelmente.
      Seu texto descreve muito bem o que tentamos, diariamente, praticar na educação dos nossos filhos. tarefa árdua, porém muito compensadora e muito amorosa.
      Mais uma vez obrigada e esperamos ansiosamente pela sua contribuição no papai toda hora.
      Obrigada por tudo.
      Bjs

      Reply
  2. Magda De Toni

    Sou fã dos dois: Leandro Oliveira e Karine, vocês são grandes exemplos. Parabéns! Beijo grande.

    Reply
    1. Karine Callegari

      Obrigada minha amiga…
      Bjs

      Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>