O que realmente importa?

CAM02287

 

Boa noite Mamães Toda Hora!

Confesso, hoje estou um pouco atrasada na publicação da coluna desta sexta-feira.

Feriado, sem escola, avós na praia, eu e meu marido tendo que trabalhar e nos revezarmos nos cuidados com o Léo, acabei deixando para agora divulgar a coluna de hoje (único momento que de fato consegui parar para escrever).

Mas o que realmente importa?

Fiquei me questionando durante dias sobre isso. Ouvimos, lemos, observamos muitas coisas no que diz respeito a criação “correta” dos filhos. Sempre há um questionamento, um olhar de aprovação ou reprovação, um palpite, uma teoria e, mesmo assim, sempre falamos que somos diferentes, que cada sujeito é único e que precisamos respeitar isso.

Fico perplexa o quanto falar é fácil, porém na prática percebo constantemente que o discurso, muitas vezes, cai por terra.

Ontem (feriado) e hoje, percebi que o que realmente importa são as coisas simples. Encontramos na simplicidade o que precisamos para evoluirmos bem enquanto sujeitos.

Conversando com uma mãe e amiga enquanto nossos filhos brincavam, percebi que não sou a única a fazer certas coisas e não me importar com as consequências futuras, pois acreditamos (eu e ela) que cada um tem seu tempo e que se estivermos TODOS bem, nos divertindo, tendo afeto, saúde, isso é o que realmente importa.

Seguem as SIMPLICIDADES das coisas aqui de casa, que realmente importam e que hoje aprendi a valorizar:

1. NOITES DE SONO: Para quem acompanha o blog MTH sabe o quanto já falei disso, mas hoje quero reforçar e contar como andam as coisas por aqui. O Léo nunca gostou de dormir no berço, sempre teve um sono agitado, se mexe muito, algumas noites tem terror noturno, outras acorda algumas vezes, não gosta de ser coberto, não gosta de colocar meias. Por muito tempo ele dormiu conosco (SIM, em nossa cama!) faz alguns meses que resolvemos colocar em prática algumas ideias do quarto montessoriano já descrito e debatido em vários blogs. Colocamos um colchão no chão, protegemos as laterais e o Léo se adaptou muito bem. Claro que algumas vezes ele rolou e fui pegar ele no tapete, no meio do quarto; outras vezes (como ele tem autonomia de ir e vir) acordei com ele na nossa cama. Mas fora isso, encontramos ali uma alternativa benéfica para retiramos, sem sofrimento, ele da nossa cama. Eu disse da NOSSA CAMA e não do NOSSO QUARTO! Essa será a próxima etapa, mas o que realmente importa é que a rotina que estabelecemos para o sono está funcionando, todos dormimos bem e acordamos bem.

2. DESFRALDE: Segundo orientação de nossa pediatra, antes dos dois anos não é necessário tentarmos o desfralde. Depois de tudo que li e conversei, entendi que cada criança tem sua maturidade para conseguir fazer isso. Precisamos diminuir a ansiedade e respeitar o tempo de cada um e fazer deste momento uma conquista sem sofrimento. Aqui em casa já pegamos emprestado um “troninho” e acabamos de comprar outro. Algumas vezes o Léo pede para tirar a fralda e fazer nele, outras ele nem avisa que fez algo. Antes e depois do banho procuramos deixar ele sem nada e por livre e espontânea vontade ele acaba fazendo suas necessidades no “troninho” e vibramos a cada vez. Mas o que realmente importa é que estamos respeitando seu tempo, seu desejo, sem forçar nada e sem constrangimentos.

3. ALIMENTAÇÃO: Apesar de EU não ser um bom exemplo de alimentação saudável, incentivo e faço de tudo para que meu pequeno siga o exemplo do pai. Até agora estamos obtendo sucesso na alimentação dele. O Léo é bom de garfo, não nega nada! Por isso, precisamos cuidar os excessos e as comidas fora de hora. Confesso que muitas vezes tenho dificuldades em impor limites, estou me policiando e procurando não deixar alguns alimentos a vista. Além disso, tem dias que estou menos estressada e que não me importo com a sujeira e entro na onda do meu marido, deixando o Léo comer sozinho e fazer a maior lambança! Porém, tem dias nem tão bons assim que acabo tirando a autonomia do meu pequeno, acabo fazendo por ele para não ter muito trabalho depois. Mas o que realmente importa é que, o que fazemos, é feito com muito carinho e amor.

4. LAZER: Tem coisa melhor do que não nos preocuparmos com o que os outros vão pensar? Hoje em especial percebi que eu e meu marido nos sujeitamos a várias coisas e voltamos a ser crianças junto com o Léo. Corremos, nos arrastamos, nos sujamos, dançamos, cantamos, pulamos, nos escondemos… Meu pequeno nos puxa a toda hora para fazermos as coisas com ele. Hoje, estávamos assistindo videoclipes na televisão e o Léo nos tirou para dançar. Até o dindo entrou na brincadeira. Rimos muito, e isso é o que realmente importa!

5. MOMENTOS MEUS: Me dei conta o quanto havia esquecido de mim, o quanto não estava mais me cuidando. Minha autoestima estava praticamente zerada. Percebi isso quando me dei mais tempo! Quando permiti me enxergar! E para isso precisei me desapegar um pouco do Léo. Parece bobagem, mas tenho uma certa dificuldade em deixar ele para fazer algo, me sinto culpada! Mas estou conseguindo ir à academia praticamente todos os dias, estou vendo minhas amigas com frequência e, muitas vezes, nas tarefas domésticas (que odeio!) aproveito para organizar meus pensamentos. O que realmente importa é não sentir um vazio no peito e conseguir curtir isso tranquilamente.

(…)

Sem contar que: olhar para ele e ver o seu sorriso, sua birra, seu sono, seu cansaço… ouvir ele dizer papai mil vezes e morrer de ciúmes… de ter que pegar ele a força para fazer alguma medicação ou para escovar os dentes… escutar mamãe, receber seus beijos, seus abraço, seu cafuné isso de fato é o que realmente importa.

Teria muito mais para escrever, mas quero saber de vocês, mamães toda hora, O QUE REALMENTE IMPORTA?

Mil beijos e bom final de semana!

 

Comentários (12)

  1. Paula

    Me vi em praticamente todos itens !!!!
    Principalmente no do apego hehehehe
    Mas adorei … Nas coisas simples que realmente está a felicidade, temos que nos dar mais conta disso !!! Beijoooo

    Reply
    1. Karine Callegari (Post author)

      Oi Paula!
      A gente acha que quando eles crescem esse apego diminuiu… mas para mim, se não está igual, está maior ainda…. kkkkk
      Vamos aproveitar cada segundo fazendo as coisas simples que com certeza o resto vem.
      Mil beijos e obrigada pela contribuição.

      Reply
  2. Germana Milesi

    Oi Karine, belo texto!
    Importa que as vezes pode ser que fizemos tudo errado, mas tentando acertar, se o sentimento for esse, ok!
    Nossos bebês não vem como manual de instruções e isso nos permite errar e acertar! Um bjo

    Reply
    1. Karine Callegari (Post author)

      Isso mesmo Germana!
      Sabe, essa tua colocação me fez lembrar da fala de uma professora minha da faculdade: Quando a gente faz com amor, dificilmente a gente erra!
      E sempre me pergunto: o que é certo e o que é errado? Isso vai de acordo com nossos modelos mentais e com o momento em que estamos.
      Obrigada pela contribuição.
      mil bjs

      Reply
  3. Sheila Galves

    O importante é estarem bem de saude…
    Amor…afeto…segurança…confiança….
    E sabes quanto ao fato de voltar a ser criança Kari? Eu ADORO brincar com o Luis…e vejo q ele ama tbm…fico pensando naqueles pais que não fazem isso..onde a criança brinca sozinha…uma lastima…pois percebo o quanto é gratificante esse momento!!!

    Reply
    1. Karine Callegari (Post author)

      Oi Sheila!!!
      Bem isso mesmo. Esses dias escutei de uma mãe que é importante deixar o filho brincar sozinho para ele aprender a ficar só! Estou longe de conseguir isso e aqui em casa nos divertimos muito.
      Beijos e obrigada pela contribuição.

      Reply
  4. cristiane

    Sabe o que realmente importa? É o bem estar de cada família! Eu li inúmeras coisas enquanto estava grávida, sobre colocar o bebê no seu quartinho já com um mês de vida, deixá-lo chorar para aprender a se acalmar sozinho, e blá blá blá blá de técnicas … eu dou muito colo para minha filha sim, NUNCA deixo ela chorar e se acalmar sozinha, e dorme algumas noites no berço AO LADO DA MINHA CAMA, algumas noites bem no meio da gente! E sabe o que importa? Ver aquele sorriso de satisfação dela, de ela saber o quanto é amada!! Na nossa casa nós fazemos assim e sentimos um laço de amor, um vínculo muito forte entre nós! è isso o que importa!!

    Reply
    1. Karine Callegari (Post author)

      Cris!!!!
      Obrigadaaaa… É tão bom saber que não estou sozinha!
      O Vínculo bem estabelecido é o que REALMENTE IMPORTA!
      Obrigada pela contribuição.
      Mil beijos

      Reply
  5. Josi Mattos

    Karine adorei a frase: DA NOSSA CAMA E NAO DO NOSSO QUARTO.Hoje sou mãe 24h por dia de domingo a domingo foi uma escolha que nunca pensei em fazer antes de ser mãe!
    Cada mamãe tem o seu jeito de educar e criar seu filho, sempre pensando no melhor. O que importa é ser feliz sem arrependimentos depois e curtir cada momento, porque passa tão rápido!
    Parabéns pelo blog

    Reply
    1. Karine Callegari (Post author)

      Oi Josi!!!!
      Isso mesmo… precisamos curtir muito e com muito amor sempre.
      Obrigada pela contribuição e fico feliz que esteja gostando do blog.
      Bjs

      Reply
  6. Daiane

    O que realmente importa e fazer tudo que seu coração mandar, pois como minha vovó dizia coração de mãe não se engana. Muita saúde a todos!!!

    Reply
    1. Karine Callegari (Post author)

      Prefeito Daiane!
      Obrigada pela contribuição.
      Beijos

      Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>