Criando um menino

criando meninos

 

Olá mamães toda hora, todas bem?

“A vida inteira fui menina, e meu primeiro filho foi um menino. E agora, como faço?”

Hoje sou mãe, mulher… E sempre tive o desejo de ser mãe de menina. Já tinha o nome escolhido e ficava me imaginando com ela… dividindo as coisas, passando meus exemplos, compartilhando dúvidas… Sei lá! Acho que era mais fácil pensar numa menina pelo simples fato de ter sido gerada por uma mulher, de ter sido uma menina como todas as outras – brincando de boneca, de casinha, imitando minha mãe e aprendendo coisas de mulher.

Era mais cômodo pensar assim! Não sairia da minha zona de conforto e educaria ela a partir das minhas vivências.

Pois bem, a vida fez com que eu saísse desta zona de conforto e me presenteou com um anjo chamado Leonardo.

Com doze semanas de gestação, quando fizemos a ecografia e constatou-se que seria um menino, todo aquele sonho que havia criado desde minha infância caiu por terra. Neste momento comecei a pensar como seria criar um HOMEM! Nós ainda não tínhamos um nome (até porque só existia o nome de menina escolhido!) e passei esta responsabilidade para o pai, pois não conseguia pensar em um nome com o qual me identificasse.

Então, como criar um homem? Como é ser mãe de menino?

Sempre tive em casa um modelo sensacional de homem. Meu pai sempre ajudou minha mãe, sempre esteve presente física e emocionalmente, aprendi várias coisas com ele (e continuo aprendendo), me identificava muito com algumas coisas que ele fazia.

Além disso, meu irmão tem apenas um ano e meio de diferença, fomos criados juntos e minha infância inteira convivi muito com meninos justamente por ter que ficar junto com meu irmão, já que ele era mais velho! Portanto, alguma experiência de vida (não pouca) eu tinha para conseguir dar conta da criação de um menino.

Está sendo um privilégio ser mãe de um menino. A cada dia descubro e aprendo muita coisa com meu Léo! Brincar de carrinho, jogar futebol, gostar de jogos de encaixe são algumas das coisas que sempre foram vistas por mim como brincadeiras de menino e que não desenvolvi muita habilidade, mas que agora estão fazendo eu resgatar momentos significativos da minha infância.

Na verdade, nem sei se eu saberia ser mãe de menina como eu sempre imaginei. Nunca fui muito delicada (e o Léo é igual), sempre fui “acelerada” e estabanada (e o Léo é igual), nunca tive frescura (e o Léo está sendo criado assim).

Mas aonde quero chegar com tudo isso?

Quero entender e aprender como criarmos um homem para o mundo. Mas mais que isso, como criar homens parceiros, companheiros e que não sejam os “filhinhos da mamãe”. Mas de uma coisa estou tendo certeza: quem “estraga” os homens são as mães!

Muitas vezes me pego fazendo coisas que me arrependo depois e tento corrigir. Se a gente quiser homens que saibam fazer as coisas, que saibam tratar as mulheres, que saibam ser parceiros e companheiros, é nossa função materna possibilitar esse aprendizado para eles, pois nós seremos seu primeiro modelo de mulher!

Portanto mamães, precisamos educá-los para a vida desde cedo!

Procuro sempre fazer com que o Léo participe e divida as tarefas comigo (dentro das suas possibilidades, é claro!) como lavar a louça, guardar as coisas, limpar o que sujou… Nem sempre dá certo, mas continuo tentando. Procuro fazer ele ter uma autonomia e promovo a independência dele sempre que posso.

Não acudo em todas as horas, mas estou sempre por perto para ele saber que pode contar comigo. Quero um parceiro para mim também! Qual mãe de menino que não sonha com isso?

Dizem que os meninos são mais das mães (Ah Freud! Ah Édipo!) então devemos aproveitar e passar para eles o que temos de melhor. Desejo muito que meu filho seja um homem educado, afetivo, carinhoso, cúmplice, protetor e companheiro.

Portanto, sei que tenho muito trabalho pela frente, mas acredito na possibilidade de desenvolvermos isso cada vez mais!

Beijos e bom final de semana!

 

 

Comentários (26)

  1. Paula

    Adorei esse texto Kari (:
    Eu sempre quis ser mãe de menino, e consegui hahaha
    Mas sei da minha tarefa para torná-lo um homem responsável e independente, que saiba agir por si próprio!
    E vamos aproveitar se realmente eles se apegam mais as mães né hehehhe
    Beijao

    Reply
    1. Karine Callegari

      Isso mesmo Paula!
      Vamos aproveitar antes q eles encontrem uma nora para nós!
      Mil bjs e obrigada pela contribuição.

      Reply
  2. Luana

    Nossa apesar do meu filho ter apenas 6 meses me identifiquei muito pq meu medo foi o mesmo entrar num universo azul o qual eu não saberia o que iria encontrar…mas como vc mesma disse hj tb não sei se saberia ser mãe de menina…estou amando meu príncipe e tb quero cria-lo de forma que ele seja um grande homem em todos os sentidos!

    Reply
    1. Karine Callegari

      Luana!
      Tenho certeza q faremos o melhor para criá-los para serem grandes homens!
      mil bjs e muito obrigada pela contribuição!

      Reply
  3. Michele

    Lindo texto Karine!

    Também sou mãe de um menino de 6 meses e
    me identifiquei muito com o que foi escrito. Espero superar minhas expectativas, em relação a criação do meu filho. Amo muito ser mãe de um guri. E farei de tudo, para educá-lo da melhor maneira possível. Bjs para todas as mamães.

    Reply
    1. Karine Callegari

      Obrigada Miche!
      É muito bom ser mae de menino…
      Obrigada pela contribuição.
      bjssssss

      Reply
  4. Josi Crestani

    Olá Karine!

    Sempre sonhei com um mundo cor de rosa! Resultado meu mundo é AZUl. Minha família é de mais mulheres e quando soubemos que estava vindo um menino HAU! Realizei o sonho da minha mãe em ter seu primeiro neto um menino, ela que sempre sonhou em ter um filho homem.
    Ser mamãe de menino é ter energia infinita, brincar de coisas que nunca havia gostado antes. Mas é maravilhoso ter um mini homem e poder explicar que tem coisas que só a mamãe pode usar, como se maquiar, pintar a unha, avisar que só o pai vai consertar o carrinho quebrado…
    Ser mãe de menino é muito bom!!
    Bjos Karine

    Reply
    1. Karine Callegari

      Que lindo isso q escreveste Josi!
      O mundo azul, para quem sempre viveu o cor de rosa, é maravilhoso.
      Obrigada pela contribuição.
      mil bjs

      Reply
  5. Sonia

    Texto maravilhoso Karine, eu sempre quis ser mãe de menino e hj o meu filho já tem 15 anos e posso dizer por experiência que os meninos são das mães. Um grande abraço.

    Reply
    1. Karine Callegari

      Sonia meu anjo!
      Estou adorando ser mãe de menino…
      Que bom que gostaste do texto.
      Obrigada pela contribuição.
      mil bjs… saudades

      Reply
  6. Joana Pozza

    Eu sempre quis uma menina também. Mas quando engravidei, tinha certeza que era menino, dito e feito. Mesmo nao sabendo o sexo, só olhava coisas de meninos.
    Eu amo ser mae de menino.
    Bjs Jô!

    Reply
    1. Karine Callegari

      Sério?
      É lindo né Jo…
      Obrigada pela contribuição…
      Mil bjs

      Reply
  7. Sheila Galves

    Nooossa Kari…me identifiquei tbm!!.. Porém sempre quis ter um menino…nem pensava na possibilidade de uma menina!…e aqui por casa tbm tem q ajudar: Aprontar a mesa, limpar o q sujou é o principal! E tem q ver q brabo q o Luis fica se eu como e cai uma migalhinha no chão…kkkkkkk…chega a ser até engraçado q ele me olha e diz Mãeee…não não….e sai correndo pegar um pano pra limpar!!!Claro q é neurose minha…mas é bom q saiba como é limpar!! As vezes ele me vê passando creme…ou batom e pede..não deixo-o sem respostas…o creme explico q o dele é outro, vou la pego o dele e deixo passar…sobre o batom…ele ja pediu…antes expliquei…mas passei nele pra mostrar q não tinha “segredos”…e nem me passou em pensamento algo de preconceituoso…como em muitas casas sei q seria um “noooossa”…acho q agora é um bom momento de começar a explicar/ pincelar sobre as coisas q os rodeiam!!…

    Mas é maravilhoso jogar bola e se sujar….kkkkkkk

    Reply
    1. Karine Callegari

      Amigaaaaaa…
      Como pode eles já seguirem alguns exemplos nossos… Isso é o que vale…
      O Léo tb já pediu para passar batom e tb deixei… o preconceito está dentro de cada um… e as escolhas também.
      Parabénssss…
      Mil bjs e obrigada pela contribuição Sheiloca!

      Reply
  8. Andreia Valenti

    Oi Ka consegui ler kkkkk lindo texto também me identifiquei muito, tive três gravidez hj sou mãe do Vini 11 anos e Rafa 5 anos tento passar pra eles a importância de ajudar em casa mas confesso na prática não é nada fácil. Já escutei o Vini falar q quer ser pai para não precisar acordar na madrugada kkkk mas noras não tratando bem meus filhos eu não vou aceitar kkkkk
    Bjs

    Reply
    1. Karine Callegari

      Que bem…
      adorei!
      Na prática tudo muda de figura, né?
      Mas não desistimos nunca…
      e que venham noras queridas e que se identifique conosco… kkkk
      Mil bjs e saudades

      Reply
  9. Francine Azzi

    Nossa Karine, me identifiquei com seu texto, pois sempre quis ser mãe de uma menina e na primeira gestação veio um menino… Filho este q amo muito, não existe amor maior…. Mas na segunda gestação fui presenteada com a menina…. É bem diferente criar um menino e uma menina… A menina é mais delicada… Mas o meu amor por eles é enorme… Meu príncipe tem 5 anos e minha princesa está com 10 meses… O Érico me ajuda bastante a cuidar da mana, a aprontar a mesa e agora começou a arrumar a sua cama quando levanta… Temos q ensiná-los para a vida para não ficarem uns marmanjos sem saberem fazer nada…

    Reply
    1. Karine Callegari

      Isso mesmo Fran!
      Se eu tiver o privilégio de ter mais um filho, e, se este for menina, estarei realizando um sonho de infância…
      Mas amo muito e espero seguir teus passos na educação do meu pequeno para que ele se transforme em um Homem e não em um marmanjo!
      Beijos e obrigada pela contribuição.

      Reply
  10. Tati Antoniolli

    E eu Ka como poderia sonhar em ser mãe de um menino e uma menina ao mesmo tempo? Na verdade o meu sonho era ser mãe!
    Mas concordo que é muito bom ser mãe de menino e preciso dizer que é muito bom ser mãe de menina… o legal é que em relação aos brinquedos eles podem diversificar, o Felipe também brinca com as panelinhas e a Nati também brinca de bola, carrinho, mas é impressionante como a forma de brincar é diferente, assim como outras coisas, a Nati sempre mais delicada e o Fe estabanado, hehehe…
    Só posso dizer que amo essa vida azul e rosa…. bjs

    Reply
    1. Karine Callegari

      Que privilégio né amiga!
      Sabes o quanto te admiro e o quanto sonho com um mundo azul e rosa.
      Bjs cheios de saudades..
      Obrigada pela contribuição.

      Reply
  11. Roberta

    Oi karine…eu ao contrário sempre quis um menino, acho que em função do meu pai ter falecido e sempre ter mencionado o desejo de ter tido um filho homem (teve 3 meninas e uma neta), despertou ainda mais a vontade, sempre chamei de “ele” na barriga,muitas vezes temia estar sendo injusta antes descobrir o sexo, mas eu tinha certeza que era um menino, que se tornou minha razão de viver…Hoje pensando em um segundo filho, até gostaria de ter uma menina.Meu Bernardo é tão maravilhoso, adoro ser mãe de menino.

    Reply
    1. Karine Callegari

      Que lindo Roberta!
      Que venha o (a)próximo (a)!
      Obrigada pela contribuição.
      bjsss

      Reply
  12. Elisa

    Oii Ka!! Pois é eu agora estou entrando neste mundo azul!! Sim, tivemos coragem e embarcamos na segunda luta pela sobrevivência heheh, agora estou esperando o Lucas, a Rafa está curtindo muito poder ter um mano!! Mais do que nunca agora vou acompanhar mais de perto teu blog e o livro já estou quase terminando! Preciso muitooo me acostumar com a vida de adrenalina hehe.

    Bjoss

    Reply
    1. Karine Callegari

      Oi Eli!
      Fico feliz em saber que agora você conhecerá o universo azul. Eu sonho em conhecer o universo rosa, quem sabe, logo-logo, lhe farei companhia nesta segunda luta pela sobrevivência – seja novamente um universo azul (o qual já conheço! ou um universo cor-de-rosa…)
      Fico imensamente feliz de poder contribuir de alguma forma e, também, por você estar gostando do livro.
      Mil beijos e obrigada pela contribuição

      Reply
  13. Talita de Oliveira

    sou mãe de menininho de 1 ano e 2 meses. Acho que estou criando ele de uma forma muito delicada, mas cobro, corrijo quando faz algo errado; porém sempre trato ele com muito afeto, carinho, beijo, abraço, brinco, faço cócegas, levo pra passear, as vezes dou uma palmadinha; ele é mto sensivel, não bate, só sabe beijar e abraçar; sabe dividir as coisas (desde cedo), mas se irritar ele é melhor sair de perto rsrs. Às vezes fico pensando se não estou confundindo a criação de menino com a criação de menina. Preciso de ajuda, conselho, criticas. To fazendo certo? Ou estou sendo mais uma vítima de tabu?
    Desde já agradeço, e amei o post.

    Reply
    1. Karine Callegari

      Talita querida!
      O que está te angustiando?
      Também passo muito afeto, carinho, beijo, abraço, chamego… e só vejo coisas boas nisso.
      O que seria estar criando de forma delicada? Pq vc acha que está confundindo a criação de menino com menina?
      Fico aguardando seus comentários para tentar, de alguma forma, te deixar mais tranquila.
      Bjs

      Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>