O que devemos saber sobre emoções para lidarmos da melhor forma com nossos filhos?

LEO-11

 

Olá mamães Toda Hora! Feliz dia da mulher!

Hoje é terça-feira, dia de especialista e a psicóloga Mônica Vagliati nos dá dicas do que devemos saber sobre as emoções para lidarmos da melhor forma com nossos filhos!

Juntamente com outra colega, a psicóloga e mãe Monica Vagliati já está na terceira edição do Atelier das emoções e ele está fazendo o maior sucesso.

Elas oferecem o Atelier das Emoções para crianças de 04 a 10 anos conhecerem e aprenderem a lidar com as emoções para que, através de brincadeiras possam desenvolver a inteligência emocional dos pequenos. Esse grupo tem duração de 03 meses com encontros semanais.

Confiram as dicas que são excelentes para nós que queremos o melhor sempre para nossos pitocos!

************************************************************************************************************************************

Todos nós sentimos medo, tristeza, nojo, amor, raiva e alegria. Sentir é algo normal e deve ser tratado com naturalidade. Ao ter filhos, as coisas mudam de figura. O que mais queremos? Evitar que um filho sinta tristeza. Queremos proteger! Evitar que um filho sinta tristeza é passar a ideia de que sentir é ruim e deve ser evitado. A tristeza é como bolha de sabão, nasce , dura um tempo e estoura.

Nosso papel diante disso, é dar colo, ajudar a nomear as emoções e auxiliar a enfrentar. Quando a criança sente esse apoio, ela se acalma!

E a Raiva ? A raiva explode como um vulcão. A criança joga objetos, grita, podendo até mesmo quebrar utensílios, seus próprios brinquedos além de bater neles ou nas pessoas próximas. As vezes podem até virem a morder também! Não podemos deixar acontecer desta forma. Devemos explicar que a criança pode sentir raiva mas não agir na raiva. Os estímulos ruins vão existir mas cada um decide se vai permanecer ou não dentro de si. A criança não pode destruir mas transformar a raiva em fala, postura e resposta ativa. Diante de um ataque de raiva, abrace e contenha.

Como pais, não podemos sentir medo do medo dos nossos filhos, pois potencializamos essa emoção. Medo é um túnel que deve ser atravessado até a luz e investigado. A mente é tagarela e fala muita besteira, não podemos acreditar nisso. Quebrar essas crenças é a nossa função! Então, olhe nos olhos do pequeno e atravesse isso junto.

E a alegria? A alegria é como pipoca. Precisa de óleo e de calor. Você tem que ter disponibilidade interna para ela. Uma corrida para o banho, cócegas, beijo, sorriso e estar junto. Esse é o caminho!

Agora, fica a pergunta! Como você: papai e mamãe lidam com as suas emoções?

************************************************************************************************************************************

monica Mônica Vagliati é Psicóloga Clínica especialista em Psicoterapia Cognitivo Comportamental de crianças, adolescentes e adultos. Atua há 10 anos em consultório clínico na Clínica Espaço Equiliibrium. Instagram: PSIMONIVAGLIATI – Facebook: Psicologa Monica Vagliati – Informe-se pelo numero 37021574

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>