Regulação emocional nas crianças, algumas dicas!

IMG_1169

 

Olá Mamães Toda Hora! Todas Bem?

Sempre fico me questionando quando nossa inteligência emocional é desenvolvida? Pois somos “treinados” desde pequenos a desenvolvermos nosso intelecto e, pouco se educa para que a gente possa entender e aprender a lidar com as emoções desde cedo. Mas o mundo nos cobra isso o tempo inteiro.

Portanto, que tal aproveitarmos a coluna de hoje da nossa mãe e psicóloga Mônica Vagliati sobre a regulação emocional nas crianças e começarmos a desenvolver desde cedo com nossos pequenos?

Boa leitura!

Bjs

****************************************************************************************************************************************

Muitas crianças expressam suas emoções de forma inadequada e o que percebemos é agitação, agressividade, dificuldades escolares e isolamento social. Sabemos que primeiro a criança precisa estar equilibrada com o seu emocional para depois conseguir vivenciar tranquilamente no meio escolar, no convívio com as amizades e família. Apesar de nossos esforços quanto pais, na verdade, não temos capacidade de evitar a tristeza, medo ou qualquer emoção desagradável. Dizer para não chorar, não ter medo …. estamos passando a mensagem de que há algo vergonhoso sobre suas emoções e que não pode ser passada para as outras pessoas. Esse processo é comparado como uma panela de pressão, vai ganhando força até que chega um momento em que se o ar não for liberado, a panela vai explodir. Então, quanto mais se incentiva a não expressar as emoções, mais força vai ganhando essa emoção e explode em comportamento inadequado.

O que fazer?

Contar para as crianças que não é ruim sentir emoções e que não temos esse poder de escolha sobre o sentir mas temos sempre a decisão sobre como agir quando os sentimentos aparecem.

Nós adultos quando estamos irritados e chateados achamos uma forma de lidar com isso. Outros não! E nesse caso, sugere-se também regular suas emoções! Mas o importante é verificar um lugar de aconchego e proteção para chorar e entender o que passa. O adulto também precisa ao seu jeito do canto do equilíbrio. Após refletir, recarregamos as energias para seguir com nossa vida novamente. Ao invés de só punir, construa com seu filho um canto da tranquilidade para todos.

Pode ser uma cabana, um local com almofadas, pote da calma, enfim, tudo aquilo que possa ajudar a criança a viver essa trajetória para se acalmar. Esse será um estímulo para perceberem suas emoções, trabalhar atenção plena e voltar ao convívio familiar. Aprender a se regular emocionalmente não é algo simples e imediato, é tarefa para a vida toda. Se trabalhado isso na infância, contribuímos para uma vida adulta mais equilibrada e feliz.

Dicas:

Você pode treinar a compreensão das expressões faciais das emoções correspondente com a criança em frente ao espelho ou de “adivinha o que estou sentindo?” onde cada um poderá descobrir a emoção do papai, da mamãe e da criança. Conversem com seu filho sobre a emoção que ocorre no cotidiano sempre que houver oportunidade. Assim, a família trabalha a educação emocional do pequeno!

****************************************************************************************************************************************

monicaMônica Vagliati é Psicóloga Clínica especialista em Psicoterapia Cognitivo Comportamental de crianças, adolescentes e adultos. Atua há 10 anos em consultório clínico na Clínica Espaço Equiliibrium. Instagram: PSIMONIVAGLIATI – Facebook: Psicologa Monica Vagliati – Informe-se pelo número 37021574

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>