Distúrbio do Processamento Auditivo- Quando a criança ouve bem, mas tem dificuldade para compreender o que ouviu.

pac.ht1

 

Olá Mamães Toda Hora, todas bem?

Hoje é terça-feira, dia de especialista! Então, a fonoaudióloga, mãe e parceira Erica Cimadon traz para nós um assunto de extrema importância e que provavelmente algumas mães (assim como eu) e profissionais desconhecem.

Boa Leitura!

Bjs

**********************************************************************************************************************

Quando o bebê nasce, somente a parte periférica da audição está pronta. Os “caminhos” que os sons percorrem até chegar ao cérebro ficarão prontos durante os 2 primeiros anos de vida, de acordo com os sons e do ambiente no qual a criança está exposta.

O processamento auditivo se refere a uma série de operações que sistema auditivo realiza para receber, detectar, atender, reconhecer, associar, integrar os estímulos acústicos e, a partir disso, planejar e emitir repostas. Ou seja, é “aquilo que você faz com o que ouve”. É uma habilidade sofisticada que é desenvolvida, principalmente durante os primeiros anos de vida, por meio de experiências acústicas às quais esta é exposta.

Experiências “negativas” como otites de repetição e exposição excessiva a ambientes ruidosos contribuem significativamente para ocorrência de um distúrbio nestas habilidades.

O Distúrbio do processamento auditivo é uma dificuldade em lidar com as informações que chegam pela audição. Este transtorno pode ser diagnosticado após os 6 anos de idade. A criança tem uma audição normal mas apresenta  dificuldade para compreender o que é falado. O comentário mais frequente feito por indivíduos com este distúrbio é “ Eu sei que você falou, mas não entendi o que você disse. Dá pra repetir?”. Pais e professores acham difícil compreender como alguém, com audição normal, pode agir como surdo em alguns momentos.

Sendo assim, os sintomas são interpretados como falta de atenção e interesse, ou até mesmo, à preguiça ou descaso em responder.

Características das crianças com distúrbio do processamento auditivo:

  • Crianças desatentas;
  • Não acompanham uma conversa com muitas pessoas falando ao mesmo tempo;
  • Não compreendem facilmente uma piada ou “duplo-sentido”;
  • Não atendem prontamente quando chamadas, ou precisam ser chamadas várias vezes;
  • Têm dificuldades para falar o “R”e o “L”;
  • Se atrapalham ao contar uma história ou dar um recado;
  • Apresentam dificuldades escolares, principalmente em matemática e português;
  • Apresentem dificuldades para aprender a ler e escrever;
  • Trocam letras na escrita;
  • Têm dificuldades para entender o que lêem;
  • Apresentam problemas de memória;
  • São muito agitadas ou muito quietas;
  • Apresentam dificuldade de relacionamento com crianças da mesma faixa etária.
  • São intolerantes a ambientes ruidosos.

Como Saber?

É necessário que a criança faça uma avaliação da audição completa, com um fonoaudiólogo, incluindo testes especiais para avaliar a audição central.

O que fazer?

As habilidades auditivas, necessárias para a compreensão da fala podem ser treinadas. O tratamento inclui modificações no meio ambiente, além de atividades e estratégias que estimulem as habilidades auditivas comprometidas.

 

*** Imagem

**********************************************************************************************************************

1-1-foto-277x3001-208x300Érica Cimadon é fonoaudióloga, especialista em neuropsicologia pela UFRGS, com aperfeiçoamentos em processamento auditivo. Atua com atendimentos a crianças nas áreas de linguagem e aprendizagem há 7 anos na Clínica Jeito de Ser e mamãe do Mateus, de 3 anos. “Ter um filho é muito mais que uma especialização… nos permite nos colocar no lugar das famílias que buscam ajuda para seus pequenos, tendo um olhar profissional, mas acima de tudo, mais  humano…”.

 

Comment (1)

  1. Andrea Boeira

    Muito bom abordar este tema! Um distúrbio que atualmente está se tornando freqüente nas crianças , e na maioria, com diagnóstico tardio, dificultando o aprendizado e vida destas.

    Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>