Medo de Papai Noel?

_mg_2305-perdo-natal_

 

Olá Mamães Toda Hora, todas bem?

Natal chegando e a figura do Papai Noel presente em todos os cantos. O Léo até agora não parece ser muito receptivo com o bom velinho, porém, ano passado ele se comportou bem na noite de Natal e curtiu um monte.

Por esse fato achei que nesse ano a situação mudaria, mas não mudou. Parece medo,  mas talvez seja apenas um desconforto até ele se familiarizar com tal situação. Veremos na noite de Natal.

A mãe e psicóloga Monica Vagliati, fala na coluna de hoje, sobre o medo do Papai Noel!

Beijos e boa leitura.

**************************************************************************************************************
Alguns medos da infância são denominados de “transitórios”, pois desaparecem a partir de certa idade. Como exemplos dessa espécie de medo infantil, podemos mencionar o medo de pessoas estranhas, de ruídos inesperados, de luzes fortes, de escuridão, de insetos, entre outros. Alguns pequenos têm grande medo do Papai Noel, ainda que, meses depois, deem muita risada com esse personagem. Importa destacar que alguns temores são superados com a experiência e a cognição, mas não se deve forçar, por exemplo, uma criança que tem medo do Papai Noel a vê-lo!

O medo do Papai Noel, frequente em crianças de 3 ou 4 anos de idade, é despertado em razão da sua aparência, sobretudo porque a criança não consegue identificá-la como a de um ser humano comum. O Papai Noel é, em última análise, uma pessoa que se comporta de um jeito distinto dos demais adultos – é como se fosse um outro ser!  Por isso, é normal uma criança pequena apresentar esse receio. Isso não deve ocorrer, contudo, com crianças maiores, porque estas têm capacidade de entender que o Papai Noel é uma pessoa que se veste daquela maneira com o objetivo de divertir as pessoas.

Os medos, em sua maioria, são curados sozinhos. Considerados transitórios, a duração deles é de três a seis meses. Dessa forma, somente é aconselhado procurar um especialista se o problema persistir. Na criança, é mais comum o medo do que ansiedade. Entretanto, caso os pais tomem atitudes inadequadas, elas podem incutir precocemente na criança o sentimento de ansiedade.

Pais medrosos contagiam os filhos com seus temores. O bicho-papão, ameaça do pai para controlar o filho, perdeu espaço para fatos como assalto e sequestro, que são transmitidos a toda hora pelos meios de comunicação. Esses acontecimentos fazem os pais ficarem assustados e transmitirem tal medo para seus filhos. Isso aumenta a insegurança da criança para enfrentar os problemas que a vida apresenta. Os pais têm que preparar o filho para viver com essa realidade, porém, devem proporcionar recursos para ele lidar com a situação.

BOAS FESTAS!!!!!!!!!!

**************************************************************************************************************

monicaMônica Vagliati é Psicóloga Clínica especialista em Psicoterapia Cognitivo Comportamental de crianças, adolescentes e adultos. Atua há 10 anos em consultório clínico na Clínica Espaço Equiliibrium. Instagram: PSIMONIVAGLIATI – Facebook: Psicologa Monica Vagliati – Informe-se pelo número 37021574

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>