Criança bater nos pais, pode?

IMG_2176

 

Olá Mamães Toda Hora!

Pelo que vocês andam percebendo estou tendo um pouco de dificuldade em escrever no blog! Meu envolvimento com meu emprego está tomando muito meu tempo e assim, procuro aproveitar ao máximo o tempo com meus pequenos. Sei que me entendem, mas quero deixar claro que assim que eu entrar na rotina, volto a escrever com a mesma frequência de antes.

Hoje é dia de especialista e nossa parceira, mãe e psicóloga Monica Vagliati aborda uma questão muito delicada que foi solicitada por uma mamãe que acompanha o blog.

Boa leitura! Mil beijos.

******************************************************************************************************************************

Seu filho tem o direito de usar o corpo para expressar o que está sentindo. Mas isso não quer dizer que ele possa machucar os outros e principalmente os pais. Muitos vêm ao consultório com essa queixa e expressam o medo em lidar com essa situação, deixando passar em branco.

Bater em você tem de ser absolutamente proibido, afinal são figuras de autoridade e limites para os pequenos. Isso não quer dizer que você deva revidar.  Essa atitude só ensinaria a ele que a agressão é algo aceitável e faria do ato de bater uma referência para a vida dele.

Então, em vez disso, sugere-se  segurar as mãos dele e dizer que você sabe que ele está bravo, mas que não se bate nas pessoas, porque machuca. Se você perceber que ele vai bater em você, segure-o antes e diga “não” com firmeza.  Diga que ele deve, primeiramente, se acalmar. Aguarde que isso aconteça e, depois, converse com uma linguagem simples e curta sobre o ocorrido.

Podemos, também, ensinar a criança pela Inteligência Emocional a canalizar a raiva de várias maneiras: em um objeto como o pote da calma, através da respiração e distração. É importante que ela entenda que sentir todos vão sentir e isso tem seu lado positivo, mas ela não pode ser expressada de forma inadequada.

  • Quando seu filho for agressivo faça com que ele perceba que não é a raiva dele que você desaprova, mas sim o jeito como ele a demonstra através da violência.
  • Evite dizer para ele não ficar bravo, ou para não mostrar que está nervoso. Diga que sabe que ele está zangado, mas mostre que é melhor ele falar, usar as palavras para explicar o que o deixou tão irritado. Ajude-o a tentar resolver a situação. Pode-se dizer, por exemplo, “Eu sei que você está se sentindo realmente com raiva agora, e isso é bom. Não há problema em ficar com raiva às vezes. Quer me dizer por que você está tão chateado?” Se você manter a calma e usar esses tipos de declarações quando perceber que seu filho está ficando com raiva, você vai ensiná-lo que ele tem outras opções que não seja bater.
  • Valide suas emoções! Quando você perceber que seu filho está ficando com raiva, diga alguma coisa imediatamente – não espere que ela aumente. Reconheça a emoção, valide-a e dê ao seu filho palavras para descrevê-la. Com o tempo, isso pode evitar crises violentas, e ele vai começar a expressar a raiva verbalmente.
  • Muito tempo na frente de uma televisão ou de um computador significa que seu filho está gastando muito pouca energia física; mais tarde, quando irritado, ele será menos capaz de exercer autocontrole e estará mais propenso a bater. O conteúdo também é relevante;  se a criança vê a violência (mesmo uma violência boba dos desenhos animados) na TV, ela pode imitar esse comportamento.
  • Mantenha-se o mais calmo possível.
  • Tente não se preocupar muito com o comportamento de seu filho. Bater é muito comum nesta idade, e provavelmente não significará um problema sério. Há boas chances de que isso seja simplesmente um obstáculo no desenvolvimento a ser superado. Caso persista, sugere-se uma Avaliação Psicológica.

Dicas:

  1. Brincar com massinha de modelar
  2. Fazer atividade física
  3. Procurar realizar brincadeiras ao ar livre.

******************************************************************************************************************************

monicaMônica Vagliati é Psicóloga Clínica especialista em Psicoterapia Cognitivo Comportamental de crianças, adolescentes e adultos. Atua há 10 anos em consultório clínico na Clínica Espaço Equiliibrium Instagram: PSIMONIVAGLIATI – Facebook: Psicologa Monica Vagliati – Informe-se pelo número 37021574

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>