Cuidado! Perigo! Mãe no Limite

karine -_MG_0650

 

Há quatro noites consecutivas que o Pedro acorda de hora em hora. Mal consigo fechar os olhos e lá está ele chorando, resmungando. Parece que algo está incomodando ele. Talvez os dentes, gases, refluxo, desconforto, sonho?!? E às 7h está com o gás todo. Na verdade nesse horário os dois já estão com a corda toda.

O Léo vai dormir por volta das 19h – 19h30! Quando chego em casa ou para buscá-lo na minha mãe, já está ferrado no sono. O Pedro, por volta das 21h também já está dormindo.

E vocês devem estar se perguntando o motivo pelo qual não me recolho e vou dormir também para aproveitar junto com eles. SQN!

Assim que a casa fica em silêncio, vou atrás das minhas coisas, das coisas da casa e dos guris. Janto, tomo banho, ajeito o que preciso para o trabalho, reviso outras, preparo mamadeiras para a madrugada, lavo louça, coloco roupa para lavar, recolho brinquedos e quando vejo, já é quase meia noite.

A decisão de ter filhos deve ser muito bem pensada. Na disciplina que ministro na faculdade (Desenvolvimento e Ciclo Vital: Gestação, Nascimento e Infância) deixo isso muito claro, pois cada escolha uma renúncia e, para ser mãe e desfrutar da maternidade com maturidade e equilíbrio emocional, é necessário abrir mão de algumas coisas em vários momentos.

Sempre deixo claro que minha prioridade são meus filhos. Faço tudo que está ao meu alcance e me sinto muito bem perto deles. Sentir o cheiro deles, ver eles crescerem, acompanhar cada evolução, se emocionar com cada gesto engrandece a alma. Há quem diga que precisamos ensinar os nossos filhos, eu acredito que mais aprendo do que ensino. É um constante aprender a aprender. É a todo momento olhar para dentro de si e se reavaliar e se reeducar constantemente.

MAS MÃE TAMBÉM TEM UM LIMITE!

Ultimamente vivo a maternidade no limite. Estou cansada, exausta, só esperando por uma noite inteira de sono e que seja bem dormida. A falta disso me destrói.

Ando no limite da culpa, da paciência. No limite da tolerância para com o marido e em alguns momentos para com os filhos.

Ando no limite para não explodir! De saco cheio com o que é certo e errado, porém louca para fazer sempre o certo e o melhor. Paradoxos que rondam meu dia a todo instante.

Tempo, o que é tempo? Quando vejo já passou a manhã, já é hora do almoço, hora de levar à escola… logo mais já está na hora de buscar, já é hora de dormir, e quando vejo já estou no outro dia.

Para uma mãe o dia tem mais de 24h!

Ando de saco cheio de conseguir dar conta de tudo, da Síndrome da Mulher Maravilha – de conseguir estar amamentando, trocando fraldas, fechando o body, colocando a roupa de volta e ainda conseguir fazer o Pedro engrenar no sono e isso tudo praticamente ao mesmo tempo.

Sim, também tenho o meu limite. Mas nem por isso fico reclamando da vida. Muito pelo contrário, aceito essa condição e trabalho para ser cada vez mais feliz. Tento gerenciar ao máximo meu cansaço e não deixar meu limite ultrapassar de maneira inadequada.

Meu trabalho me engrandece! Aprendo muito todos os dias com as pessoas que convivo e, assim, mostro para os meus filhos que ele é importante pois alimenta a alma.

Portanto Mamães, não entendam meu post de hoje como uma reclamação, mas sim para mostrar que mãe é um Ser Humano normal, porém com uma força sobrenatural.

Mil beijos e bom final de semana.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>